QUEM SOMOS

O Núcleo Experimental é um grupo de artistas que, desde 2005, se dedica a explorar novos autores e repensar os clássicos. Focando na busca de excelência artística, na formação e aperfeiçoamento de seus atores e na opção por textos que dialoguem com a sociedade contemporânea, uma de suas vertentes é, também, explorar a relação entre a música e o teatro. Queremos que o conjunto de nossas atividades sejam uma plataforma para aquilo que a cultura pode oferecer de melhor ao povo de uma cidade: entretenimento aliado à inteligência, debate de ideias aliado ao prazer, experiência estética aliada a uma responsabilidade social.

DIVERSIDADE

A vitalidade dos processos de criação é resultado do intercâmbio e maturação da equipe através do trabalho com profissionais de formação heterogênea. Além da equipe estável, vários profissionais da cena paulistana participam de nossas montagens.

REPERTÓRIO E DIÁLOGO

Uma das características que justificam a existência de um grupo é a atividade contínua e rotineira de pesquisa de linguagem. Um repertório só pode ser resultado desta continuidade. Isso permite não só um jogo de circulação entre as peças montadas, mas também um estímulo para os integrantes do grupo e motivação para as diferentes plateias. As montagens devem dialogar com os diferentes espaços e se dirigir a diferentes públicos.

Foram mais de 20 peças produzidas, 61 indicações a prêmios e um público direto de mais de 120.000 espectadores. 

PRÊMIOS

R&J, de Joe Calarco (2006)

Prêmio Coca- Cola FEMSA 2006 de Melhor Ator (Duda Mattos).
Indicado a Melhor Direção (Zé Henrique de Paula) e Melhor Espetáculo Jovem no Prêmio Coca-Cola FEMSA 2006.
Indicado ao Prêmio Shell 2006, na categoria Melhor Música (Fernanda Maia).

SENHORA DOS AFOGADOS, de Nelson Rodrigues (2007) 

Indicado do Prêmio Contigo de Melhor Musical Nacional em 2008.

O LIVRO DOS MONSTROS GUARDADOS, de Rafael Primot (2009)

Vencedor do Prêmio Shell 2009, na categoria Melhor Autor (Rafael Primot).
Vencedor do Prêmio Cooperativa Paulista de Teatro 2009, na categoria Melhor Texto (Rafael Primot).
Indicado ao Prêmio Quem 2009, na categoria Melhor Direção (Zé Henrique de Paula).

AS TROIANAS – VOZES DA GUERRA, de Eurípides (2009)

Indicado ao Prêmio Shell 2009, nas categorias Melhor Direção (Zé Henrique de Paula) e Melhor Música (Fernanda Maia).
Indicado ao Prêmio Cooperativa Paulista de Teatro 2009, na categoria Melhor Projeto Sonoro (Fernanda Maia).
Indicado ao Prêmio Quem 2009, na categoria Melhor Direção (Zé Henrique de Paula).

BICHADO, de Tracy Letts (2012) 

Indicado ao Prêmio Shell 2012, na categoria Melhor Cenário (Zé Henrique de Paula).

MORMAÇO, de Ricardo Inhan (2012)

Vencedor do Prêmio Aplauso Brasil 2012, nas categorias Melhor Texto (Ricardo Inhan) e Melhor Atriz Coadjuvante (Rafaela Cassol).

NO CORAÇÃO DO MUNDO, adaptado de Tony Kushner (2012)

Indicado ao Prêmio Shell 2012, na categoria Melhor Figurino (Zé Henrique de Paula).

UNIVERSOS, de Nick Payne (2013)

Indicado ao Prêmio Shell 2013 na categoria Melhor Iluminação (Fran Barros).

NOSSA CLASSE, de Tadeusz Slobodzianek (2013)

Indicado ao Prêmio APCA de Melhor Direção (Zé Henrique de Paula).

OU VOCÊ PODERIA ME BEIJAR, de Neil Bartlett e Handspring Puppet Company (2014)

Indicado ao Prêmio Shell de Melhor Atriz (Clara Carvalho) e Melhor Ator (Roney Facchini).
Indicado ao Prêmio APCA de Melhor Ator (Roney Facchini).
Indicado ao Prêmio Qualidade Brasil de Melhor Ator (Roney Facchini).

PRETO NO BRANCO, de Nick Gill (2014)

Indicado ao Prêmio APCA de Melhor Diretor (Zé Henrique de Paula) e Melhor Atriz (Clara Carvalho).

AO PÉ DO OUVIDO, de Herbert Bianchi, Rita Batata e Zé Henrique de Paula (2015)

Indicado ao Prêmio Governador do Estado na categoria Teatro.

URINAL, O MUSICAL, de Greg Kotis e Mark Hollmann (2015)
 

Vencedor do Prêmio APCA de Melhor Diretor (Zé Henrique de Paula).

Vencedor do Prêmio Reverência 2016 nas categorias Melhor Musical, Melhor Direção, Melhor Cenário (Zé Henrique de Paula), Melhor Direção Musical (Fernanda Maia) e Melhor Ator Coadjuvante (Fabio Redkowicz).

 

Vencedor do Prêmio Arte Qualidade Brasil de Melhor Diretor (Zé Henrique de Paula).

 

Vencedor do Prêmio Bibi Ferreira de Melhor Atriz (Bruna Guerin) e Melhor Ator Coadjuvante (Daniel Costa). Indicado ao mesmo prêmio nas categorias Melhor Diretor e Melhor Figurino (Zé Henrique de Paula), Melhor Atriz Coadjuvante (Luciana Ramanzini), Melhor Versão (Zé Henrique de Paula e Fernanda Maia), Melhor Direção Musical (Fernanda Maia).

 

Vencedor do Prêmio Aplauso Brasil de Melhor Espetáculo Musical (júri) e Melhor Espetáculo Musical (voto popular) e Melhor Ator Coadjuvante (Daniel Costa). Indicado ao mesmo prêmio nas categorias Melhor Diretor (Zé Henrique de Paula), Melhor Atriz Coadjuvante (Luciana Ramanzini) e Melhor Iluminação (Fran Barros).

 

Indicado ao Prêmio Shell nas categorias Melhor Direção e Melhor Figurino (Zé Henrique de Paula) e Melhor Ator (Daniel Costa).

 

Indicado ao Prêmio Governador do Estado na categoria Teatro.

 

Indicado ao Prêmio Quem na categoria Melhor Espetáculo.

 

Indicado ao Prêmio Reverência nas categorias Melhor Musical, Melhor Direção, Melhor Cenário e Melhor Figurino (Zé Henrique de Paula), Melhor Direção Musical (Fernanda Maia), Melhor Iluminação (Fran Barros), Melhor Versão (Zé Henrique de Paula e Fernanda Maia), Melhor Coreografia (Gabriel Malo e Inês Aranha), Melhor Atriz (Bruna Guerin e Luciana Ramanzini), Melhor Ator (Daniel Costa), Melhor Atriz Coadjuvante (Adriana Alencar), Melhor Ator Coadjuvante (Fabio Redkowicz) e Melhor Projeto Sonoro (Raul Teixeira).

INTEGRANTES